29 de maio marcado por violência policial em PE

Sábado (29/05), as ruas do centro do Recife se encheram de pessoas rugindo contra Bolsonaro, por mais vacina e pela vida. O protesto seguia pacífico, até que a Polícia Militar interveio com bombas de gás lacrimogênio, sprays de pimenta e atirando balas de borracha em manifestantes.
.
A violência da ação policial causou a perda da visão de dois trabalhadores (um que nem estava no ato) e mandou mais algumas pessoas para o hospital.
.
O Governo de Pernambuco se manifestou, afirmando que não ordenou a operação e que instaurou investigação para apurar as responsabilidades. O Ministério Público, por meio da Portaria nº 009.2001, instaurou inquérito para “investigar possíveis violações de direitos humanos materializadas em atuação ilegal e arbitrária, cometidas pela Polícia Militar de Pernambuco/PMPE”.
.
Diversas manifestações pro-Bolsonaro já aconteceram sem nenhum incidente parecido – atos que nem tomaram os devidos cuidados com os protocolos de prevenção ao Covid 19 (uso de máscara, álcool e distanciamento) que a manifestação de sábado exemplarmente seguiu à risca. A liberdade de manifestação política é um direito garantido constitucionalmente e a ação da polícia neste episódio fere gravemente a liberdade de expressão, a liberdade política e a democracia.
.
.
Nosso Rugido é contra LGBTfobia!
.
.
#ForaBolsonaro #vacinapratodos #ongleoesdonorte
#redelgbtdointerior #rugido #denuncielgbtfobias #PERNAMBUCOEMFOCO

Rildo Veras

Rildo Veras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *